Tuesday, December 13, 2005

Poema para uma amiga triste

Por momentos ficaste de mãos vazias
Nos teus olhos vi farrapos de perfume
É assim que te recordo
Despida
Numa noite de estrelas cintilantes
Onde Vénus antecipava a despedida.

Punhas todas as palavras a dançar
Com energia
Quando falavas de lutas;
Alegria mascarada.

Fiquei sem sono
Arde-me a raiva
Fecham-se as mãos
Sinto-te irmã

Sondei-te os gestos nos olhos
Traziam lutos
E vi, depois, nascer na tua face
Uma lágrima gelada.

8 comments:

pirata vermelho said...

(Vous permnettez, madame...)

Ficaste de mãos vazias
Nos teus olhos vi farrapos de lume
E assim que te recordo
Despida
Numa noite de estrelas só tuas

Punhas palavras na dança
Com energia franca e bruta
E quando falavas de luta
A'legria mascarada surgia

Fiquei sem sono
Arde-me a alma
Fecham-se-me as mãos
E cantam-me os olhos

Mas
levei-te os gestos
Que traziam luxos
E vi na tua face
Uma lágrima fria

mfc said...

Forte, triste e ternurento.
Toca quem o lê.

Toze said...

Qualquer amiga triste gostaria de receber este Poema ! E o do Pirata ...também :)))

jp said...

O pirata vê longe, onde tu vês perto do coração Palavrinhas
Mas cada um vê com olhos próprios
toma lá beijo

Anonymous said...

Obrigada amiga, comoveu-me este teu gesto...comento anonimamente porque sabes quem eu sou, e não quero protagonismo quando de lágrimas frias se fala.
Gosto de ti, já to disse, admiro-te cada vez mais.
Beijo grande
P

Ivo Jeremias said...

Roubaste todas as palavras que podia usar para comentar o que escreveste.

Um beijo

Mushu said...

:)

Claudia Sousa Dias said...

Estou com vontade de lê-lo a uma amiga triste...


Beijinhos

CSD