Monday, October 27, 2008

Claro/Escuro

Foto de Elipse



Leio no céu o apelo, quase sempre
Indiferente às vozes de quem passa
Basta-me, agora, saber por onde vou.
Entre o preconceito e a asas
Resolvo a dimensão dos dramas
Dando passos certeiros
Ante a perplexidade dos que não ousam.
Dói-me apenas a pequenez dos dias
E a obrigação de colher frutos verdes.








8 comments:

Carla said...

adorei estas palavras de...liberdade
beijos

PreDatado said...

Isto é de facto Liberdade.

Claudia Sousa Dias said...

a mim também.


CSD

mfc said...

Colher é o sortilégio de quem ousa.

addiragram said...

A LIBERDADE é Vida que todos desbravamos....A fotografia, essa, é mesmo linda!

Boop said...

Palavras bonitas!
De uma liberdade que não é serena, fácil, ou de desejos satisfeitos.
Mas não é assim a liberdade?

mónica said...

hmmm colher frutos verdes ou amadurecer frutos verdes? fado de professora :DDD

Fatyly said...

Um acróstico sonoro e que bateu fundo e há que ousar para se obter melhor frutos.