Saturday, October 04, 2008

Intervalo

foto de Elipse

Desinquietou-me o silêncio e a penumbra dos meses frios.

Ocupou-me o pensamento, severamente gasto em coisas inúteis como a tristeza.

Aconchegou-se a mim, ou fui mais eu, saída da sombra, em busca do tempo que ficou atrás das ousadias.

Por momentos fechei a porta ao mundo e deixei adensar-se a névoa dos incensos.

Olhos nos olhos, tínhamos o corpo todo à espera e o fascínio triunfava.

11 comments:

Claudia said...

achei seu blog por um acaso.
Belas palavras

Mónica said...

o fascínio, é isso mesmo. qdo o acaso junta fascínios reciprocos, ui :P

addiragram said...

É sempre a VIDA que se procura,nada mais que a Vida.

maria_arvore said...

É uma excelente forma de sobreviver aos dias. :)

Carlos Gil said...

lindo...

Mónica said...

intervalo, diz ela :P

Fatyly said...

e consegues intervalar o que muitos pelo menos deveriam tentar.

Lindo!

mfc said...

O fascínio é conseguir acreditar-se em algo.

Claudia Sousa Dias said...

Ai, que coisa mais bela!

o poema e a rosa.

quase lhe sinto o perfume.

pura volúpia.


beijos


CSD

sinédoque said...

Soube-me bem este intervalo.
Voltarei para outros momentos.

© Piedade Araújo Sol said...

e ainda bem que o fascinio triunfou....

fica um beijo